09 setembro, 2007

85 - O cão

Foto: Shar inho

O Cão

O cão que faz ão ão
É bom amigo como os que são
É bom amigo, bom companheiro
É valente, fiel, verdadeiro
E leal serviçal.
Tem bom coração
Que o diga o seu dono
Se ele o tem ou não
Quem vem de fora,
E chega a casa, é o cão
Quem diz primeiro
Todo prazenteiro,
Saltando e rindo
Contente,
E com olhos a brilhar de amor:
- Ora seja bem vindo
O meu senhor.
O cão que faz ão ão
É bom amigo como os que são.

(Afonso Lopes Vieira)

10 comentários:

amigona avó e a neta princesa disse...

Tal e qual! Recordei um poema que estava nos manuais escolares antigos!Beijo e boa semana...

shark disse...

Havias de o ver agora, coitado, com a farpela toda esfarrapada por uma doença dita tropical...
Mas continuo a gostar muito do meu rafeiro vadio. :-)

Susete Evaristo disse...

Amigona e babosa avó da neta princesa, até parece que és bruxa. Foi a um manual escolar que eu o fui buscar.
Beijinhos

Susete Evaristo disse...

Quanto a ti Shark tens mais cães nas tuas fotos mas eu sabia que este era o teu cão. E onde é que ela apanhou tal coisa não me digas que o levas-te de férias para os trópicos, coitado do bicho e agora que lá vem o inverno a coisa pode piorar. Tens de lhe comprar um casaco.

shark disse...

Nada disso, para os trópicos não preciso de levar nada que há lá tudo o que é preciso para um tubarão de águas tépidas...
Foi mesmo em casa, anda aí um mosquito com costela africana a fazer miséria nos canídeos portugas.

Susete Evaristo disse...

Oh! E não sabes comprar um insecticida que mate os mosquitos africanos, sem que afecte os pulmões dos tubarões? Fizeste-me lembrar de como antigamente se pulverizavam as casas com DDT para matar as moscas, era cá um cheiro... e claro uma hora fora de casa.

amigona avó e a neta princesa disse...

Por onde andas? De férias? Beijo...

Susete Evaristo disse...

Não amiga não estou de férias estou a trabalhar mas saio todos os dias quase às 8 da noite isto está uma loucura com a mudança que houve nos meus serviços.Espero que no inicio do próximo mês acalme um pouco.

caniche vagabundo disse...

Que belo poema!

Anónimo disse...

Este poema fez-me lembrar de um cão qeu tive nos meus avos e quando murreo so me apeteceo chorar