21 outubro, 2012

366 - Madrugada

Foto: Shark

Madrugada

Chegou num abraço a madrugada
Envolta em languidez tamanha
Trazendo, vinda não sei de onde
A cadência de uma sinfonia estranha

O brilho das estrelas reluzindo
Desce do céu em doce companhia
Sendo os teus olhos, a luz que alumia
Que aquece e incendeia, a minha poesia

Esta amizade que entre nós flutua
Cúmplices, vivendo de um amor antigo
Eternamente presos a uma só verdade

Embora longe sinto, estás comigo
Quero-te tanto mesmo não sendo tua
Meu terno amor, minha infeliz saudade

Susete Evaristo

8 comentários:

A. Feliciano disse...



O MEU ABRAÇO

Seja qual for o teu momento agora,
Sente o meu abraço.

Se a tristeza tomou forma no teu coração?
Que o meu abraço possa levar-te alegria.

Se estiveres passando por algum tipo de privação?
Que o meu abraço te sirva de consolo.

Se há escuridão da tua vida?
Que o meu abraço seja hoje o teu Sol.

Se teu coração está mergulhado na dúvida?
Que o meu abraço seja, Fé no teu dia de amanhã.

Se o Amor não marca presença em tua Vida?
Que o meu abraço possa dar-te a confiança,
de que ele está no teu caminho,..muito perto,
e vem ao teu encontro.

A . Feliciano
(In SALPICOS DE POESIA )

A. Feliciano disse...


Não faz poesia quem quer,
Nem tão pouco por obrigação,
Só escreve e lê poesia,
Quem a traz no coração.

Susete Evaristo disse...

Pode crer amigo Feliciano
Obrigada pelas suas palavras e pelos seus poemas

António disse...

A Poesia uma forma forma de expressão que deixa a nú a personalidade do autor e só os corajosos se despem em público.

A. Feliciano disse...

Se assim o desejar,pode dar uma olhadinha no aqui:http://olhodevento.blogspot.pt/ e fica a saber oa meu modo de olhar vida.

Susete Evaristo disse...

Caro António
Obrigada pelas suas palavras de facto assim é mas este poema esperou vários anos até ver a luz do dia sempre achei que os meus escritos só tinham importância para mim agora (talvez a idade e a distancia) faz-me pensar de outra maneira.
cumprimentos

Susete Evaristo disse...

A. Feliciano irei de imediato ao "olhodevento"
Obrigada

A. Feliciano disse...

Susete ,amiga
assim é a Poesia em primeiro lugar é escrita por uma necessidade do do autor e para sua satisfação,,assim eu entendo.Quem faz poesia comercial,não acredito que tenha o mesmo prazer em escrever que os poetas expontâneos.