09 novembro, 2008

247 - Linguagem poética

Foto: Charquinho

Passa-lhe ao lado a cidade

Passa-lhe ao lado a cidade
no contexto de uma realidade
que é só sua e de mais ninguém.

Não se sente mal
nem se sente bem,
não chora
mas não lhe dá para rir,
também dispensou
esse luxo que é sentir.

Abdicou da emoção
quando se percebeu incapaz
de lidar com as memórias
de tempos atrás.

E aprendeu que no futuro
de pouco lhe iriam valer,
essas lembranças
que fazem doer.

Cansou-se de enfrentar a reacção
desesperada
de cada pessoa amada
que tentava em vão
contrariar-lhe a decadência
e que depois ele sentia
como uma indecência
a sua presença perniciosa
nas vidas que lhe competia partilhar.

Um dia decidiu…

Quanto tempo não sabia,
que lhe restava e o que jazia
na masmorra fechada
num canto da sua mente anestesiada
à prova de emoções,
a alma afogada em alucinações…

Acreditava-se
com as rédeas da sua vida na mão,
independente,
mais livre
enquanto indigente
do que na pele controlada
por um papel a cumprir
numa vida tramada
para todos os que se deixavam arrastar
por uma maleita qualquer
que culmina no ensandecer…

Às vezes apetece-lhe sorrir,
mas descobre que é engano
quando o calor metropolitano
o lembra do frio interior
e é então que desliga o olhar,
pousado sem brilho
num ponto fixo da cidade
que lhe passa ao lado
enquanto rumina
em silêncio
a melhor solução
para a próxima refeição,
desatinado
por já nem conseguir lembrar-se
de como desenrascou a anterior.
"Charquinho"

5 comentários:

Susete Evaristo disse...

Muitas vezes tentada a transcrever em formato de poesia a bela prosa do nosso amigo "Shark" tenho resistido a esse impulso.
Hoje porém perante um texto belissimo de grande sensibilidade não resisti e ai está uma prosa poética transportada para escrita poética que em nada fica atrás de outros autores já publicados.
Com um grande beijo e um orgulho enorme na tua amizade.

shark disse...

Ò parceira, deixas-me inchado que nem um sapo...
:-)

Susete Evaristo disse...

Mas tu tens andado a pedi-las!
Continua a escrever da forma belissima como escreves que a tua alma bem se vê que é de poeta.
beijinhos

Cila disse...

Lindo...adorei..também adorei a fotografia!

Beijo

poesianopopular disse...

Amiga e camarada
Andas roubando muito bem e atratar o roubo ainda melhor!
Gostei!
Abraço