26 julho, 2008

198 - Pastor do Alentejo

Foto: Shark

Pastor

Toda a vida fui pastor
Toda a vida guardei gado
Tenho uma cova no peito
De me encostar ao cajado

De me encostar ao cajado
Lá nos campos ao rigor
Toda a vida guardei gado
Toda a vida fui pastor
(Do folclore Alentejano)

6 comentários:

Cila disse...

Olá...conheço estas quadras, a minha mãe costumava dizê-las queando eu era pequena...trás-me boas recordações do nosso Alentejo :)
Beijocas

shark disse...

Como alentejano honorário só posso sentir-me lisonjeado por esta feliz associação de ideias.
:-)

*Mar disse...

Eu também acho que ficam mesmo bem as ovelhas do shark com os poemas do alentejo...;-)

Vieira Calado disse...

Lindo, na sua grande simplicidade!
Cumprimentos

Anónimo disse...

ANa primeira quadra, em vez de cova não é nódoa?

Toda a vida fui Pastor
Toda a vida guardei gado
Trago uma nódoa no peito
De me encostar ao cajado

Susete Evaristo disse...

Caro Anónimo, obrigada pela visita.
Pois é o verso a que se refere tem várias versões: nódoa; mágoa; ferida; enfim uma série de possibilidades que se podem aplicar à vida de um pastor, em pleno campo. Eu optei pela versão em que é referida a "cova no peito" do pastor feita pelo cabo do cajado primeiro pela forma arqueada das costas, depois porque a cova simbolisa a solidão da vida dos pastores.