17 janeiro, 2008

132 - Tarde no mar

Foto: Shark inho

Tarde no mar

A tarde é de oiro rútilo: esbraseia.
O horizonte: um cacto purpurino.
E a Vaga esbelta que palpita e ondeia,
Com frágil graça de menino

Pousa o manto de arminho na areia
E lá vai e lá segue o seu destino!
E o sol, nas casas brancas que incendeia,
Desenha mãos sangrentas de assassino!

Que linda tarde aberta sobre o mar!
Vai deitando do céu molhos de rosas
Que Apolo se entretém a desfolhar…

E sobre mim, em gestos palpitantes,
As tuas mãos morenas, milagrosas,
São asas do sol, agonizantes…

(Sonetos - Florbela Espanca)
in clássicos da lingua Portuguesa

6 comentários:

amigona avó e a neta princesa disse...

Tarde ou manhã é sempre bonito! (não foste buscar o prémio!) Beijo...

amigona avó e a neta princesa disse...

Amiga, se quiseres ver a Fló passa por lá...beijo...

shark disse...

Este mar parece feito à medida da onda da Florbela Espanca. Bonito mas um nadinha sombrio... :-)

Susete Evaristo disse...

olá amigona já fui ver a Fló mas eu já tinha visto aquelas fotos. Gostei mais de ver a filha e a princesa. Como são parecidas.
Beijinhos

Susete Evaristo disse...

Olá Shark, o poema é que parece ter sido inspirado nesta tua foto.

amigona avó e a neta princesa disse...

Mas então onde andas? Bjs