16 maio, 2008

174 - Flores do campo

Foto: Shark inho

É Primavera agora, meu Amor!

É Primavera agora, meu Amor!
O campo despe a veste de estamenha;

Não há árvore nenhuma que não tenha
O coração aberto, todo em flor!

Ah! Deixa-te vogar, calmo, ao saber

Da vida... não há bem que não venha
Dum mal que o nosso orgulho em vão desdenha!
Não há bem que não possa ser melhor!

Também despi meu triste burel pardo,
E agora cheiro a rosmaninho e a nardo
E ando agora tonta, à tua espera...

Pus rosas cor-de-rosa em meus cabelos...
Parecem um rosal !
Vem desprendê-los!
Meu Amor, meu Amor, é Primavera!...


(Florbela Espanca)

4 comentários:

shark disse...

São raros, os momentos felizes na escrita desta piquena.
Não conheceu o tubarão, coitada...
:-)))

Susete Evaristo disse...

Não gostas de Florbela, Shark?

shark disse...

Gosto, pois.
Mas o que eu queria dizer é que ela ia gostar de mim e passava a escrever poemas cheios de flores e de borboletas...
:)

Susete Evaristo disse...

Flores e borboletas!!!!!!?????????
Então e onde ficavam os poemas sobre o monstro marinho das aguas escuras e profundas?!